Search This Blog

Loading...

Thursday, June 21, 2012

Água das “Lombadas” Ribeira Grande, S. Miguel, Açores

Tenho saudades da Água das Lombadas e da Serra do Trigo, com os seus sabores leve e suave.
A última vez que visitei as Lombadas, foi em 1993. É uma viagem com uma paisagem linda, que não se deve perder. É uma das pérolas do Concelho da Ribeira Grande. Obrigado a Ricardo Silva, Presidente da Cámara pelo envio deste link.

6 de Outubro de 2011



Quando a ideia de água engarrafada para consumo corrente era ainda inimaginável, havia duas marcas de água mineral em S. Miguel que faziam jus à sua fama de grande hidrópole mundial: a“Serra do Trigo” e a “Lombadas”. Cada uma com as suas características bem distintas, do seu sabor até à forma como eram comercializadas, faziam as delícias dos que podiam passar algum tempo nos bares dos meios urbanos. Naturalmente gaseificadas, chegaram a ser comparadas com algumas das marcas nacionais e não eram poucos os que as consideravam de elevadíssima qualidade.
                                        1905                                                                            1900
          
As águas minerais denominadas “Lombadas”,  foram exploradas inicialmente pela firma "Meyrelles & Cª.” de Lisboa, em escritura inicial de exploração de 21 de Maio de 1891, eram colhidas e engarrafadas no próprio local da nascente, nas “Lombadas”  na Ilha de S. Miguel do arquipélago dos Açores, no estado "virgem" que botavam sem introdução artificial da dióxido de carbono. O alvará foi concedido provisoriamente a José Maria Raposo do Amaral, em 20 de Abril de 1896. Um novo alvará, de 28 de Agosto de 1940, estabeleceu a concessão em nome de Maria da Luz Raposo do Amaral de Aguiar, Nicolau Raposo do Amaral, José Jacinto de Bettencourt, Luiza Álvares Cabral, Tereza Pereira da Costa, Maria das Mercês Poças Falcão, Maria de Andrade Gil e Maria Clotilde Raposo do Amaral de Viveiros. (fonte: Blogue da Rua Nove)
"As Lombadas" é nome de uma serrania, toda em socalcos vulcânicos, e de cujo topo - quinhentos metros de altitude - se descortina um espectacular panorama.
                                                
Em 1906 nesse local pitoresco a mais de 5 quilómetros de distância da vila da Ribeira Grande, noite e dia jorravam dezoito mil litros por hora de água das Lombadas. Durante séculos essas águas correram em liberdade, e perderem-se nas ravinas, até que num dia foram descobertas as suas propriedades nos terrenos do então par do reino Raposo do Amaral, e desde logo efectuadas as primeiras experiências.
Em 1908 a água das Lombadas já era explorada pela “Empreza da Água das Lombadas”, que entretanto promove um concurso para promover um poster publicitário. Os três primeiros lugares foram conquistados pelos seguintes trabalhos:
1º lugar: Constantino Fernandes             2º Lugar: Julio Teixeira Bastos          3º Lugar: Maria Kebe Gonçalves
  
                                                         Primitivas instalações da “Lombadas”
                              
Estas águas carbonatadas gasosas, foram utilizadas essencialmente como águas de mesa. A captação registada em 1938 foi de 40.324,11 litros, no ano seguinte de 48.443,8 litros e em 1940 de 52.369,51 litros.
                                                                     Instalações já ampliadas
                                                         
                                                           Engarrafamento da água “Lombadas”
                               
«Quantas canceiras desde que a água é colhida até á partida para Lisboa a bordo dos vapores da Insulana! Do alto das Lombadas, sítio ermo e afastado das povoações vem as grades de garrafas a dorso por um caminho de cabras talhado n'um labyrintho de rochas e precipícios, n'um  percurso de cinco quilometros, até á Ribeira, e de ahi descem em vehiculos pesados para Ponta Delgada, de onde seguem para o deposito da nossa Avenida da Liberdade (...)».
                                                       Transporte da água para a Ribeira Grande
                                
                                                             Depósito e loja em Ponta Delgada
                                                           
                                               Depósito e loja, na Avenida da Liberdade, em Lisboa
                                                           
                                      Reclamo luminoso no Rossio, em Lisboa nos anos 50 do séc. XX
                                       
No início dos anos 90 do século XX, a concessão da sua exploração foi ganha pelo magnata das águas de consumo, Sousa Cintra, mas nunca foi investido sequer um cêntimo (então ainda eram os escudos) de investimento. A sua unidade de produção foi-se degradando rapidamente até que apenas sobraram as paredes e algumas garrafas espalhadas ao acaso. A água regional mais valiosa passa ainda hoje por um edifício que se encontra em ruínas.
                                                                              Anúncio de 1904
                                    
fotos in: Hemeroteca DigitalArquivo Municipal de LisboaBiblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian
A última concessão conhecida vigorou de 1996 a 2007. A fonte tinha, na altura, um caudal de 60 a 80 metros cúbicos por hora o que permitia encher até 2.500 garrafas, sendo que esta água começou a ser explorada no final do século XIX e chegou a ser exportada para Lisboa, Brasil e África. A última tentativa de aproveitar a água das Lombadas foi da Fábrica Melo Abreu e da UNICER, mas a parceria não foi para a frente e o projecto conjunto da nova fábrica ficou na gaveta, o que inviabilizou a construção da nova unidade industrial para engarrafamento de uma água que já foi considerada das melhores águas de mesa do país.
                                                   O que resta das instalações da água das Lombadas
                                     
Desde 1998 que não é feito o engarrafamento da água das Lombadas, pois uma derrocada deixou a nascente inoperacional para a indústria, e a empresa Meyrelles, associada à Vidago do empresário Sousa Cintra, abandonou o projecto. Doze anos depois a água mineral gasosa das Lombadas poderá voltar, em breve, às prateleiras para ser comercializada.
Em 5 de Abril de 2011 foram apenas açorianos os interessados no negócio da exploração da água das Lombadas. Nesta data na secretaria da Economia, em Ponta Delgada, a ‘Melo Abreu S.A’. e a‘Momento Célebres’, do grupo Walter Oliveira da Ponte foram os dois únicos candidatos que entregaram as suas propostas. Embora esteja fora de questão voltar a fazer uma fábrica na zona da nascente, a Secretaria do Ambiente quer saber de que forma o novo concessionário pretende canalizar a “Água das Lombadas” desde a sua captação, para então complementar essa intervenção com a reabilitação do espaço da antiga Fábrica das Lombadas.
Em:http://restosdecoleccao.blogspot.pt - Visitem que vale a pena!
Visit the Azores, Where Nature Lives - Visite os Açores, Onde a Natureza Vive! ©JMLA

9 comments:

Anonymous said...

Awesome post.

Review my site ... www.nodepositcasinobonuses.Net

Anonymous said...

I’ve been browsing online in excess of nine hrs
now, and after finding you on http://corisco-california.

blogspot.com/, I definitely haven't encountered any worthwhile posts similar to yours. In my opinion, if all web site developers and blog writers developed top notch content as you did, the web will be a lot more helpful than at any time prior.

Also visit my weblog: Buycheapcigarettess.com

Anonymous said...

You should be a part of a contest for one of the greatest websites online.

I most certainly will highly recommend this site!

my web page :: http://blog.meinevahr.de

Anonymous said...

At last, after looking through http://corisco-california.
blogspot.com/ for a while, I found a site from
where I was able to really discover valuable details regarding the studies and the knowledge that I
want. There need to be more things like this on Open Blog

my web site - Adventiste

Anonymous said...

I discovered your blog on http://corisco-california.
blogspot.com/ and I'm extremely glad I did. It's as if you read my mind.
You appear to to know so much about this, like you authored
the book on it or something like that. While I think some extra
media like some pics or a couple of videos, this will
be a fantastic resource. I will certainly be back.

Here is my web page; ice cream sandwich

Anonymous said...

Stunning quest there. What occurred after? Take care!



Also visit my homepage - comunidadguajira.com

Anonymous said...

I work with things of this nature out here in Carleton, Great Britain.
Genuinely doing what you desire and writing about it in such a great way is a great
gift. Your writing is informative, illuminating, and passion-driven, all of which I seriously
respect when it comes to this topic.

Feel free to visit my weblog fust

Anonymous said...

Definitely enjoy what you've got here, pleased you're putting it out there and what you have to say.
Your article was splendidly balanced between amusing and intelligent.
I am thrilled to swap theory and expertise with you. Your website is without a doubt one of the better blogs out there
right now.

Have a look at my web-site ... http://ante.dyndns.org/wiki/index.php/User:Pipicydlehe360

Anonymous said...

Olá antes de mais quero felicitá-lo pelo seu magnifico blog. Estou a desenvolver um trabalho sobre as lombadas e a antiga fabrica, mas existem poucas informações e fotos acerca deste magnifico local. Gostaria de saber onde posso encontrar mais fotos e mais informação sobre as Lombadas. Muito Obrigado
Envie me mail para o seguinte endereço : carla_vinagra@msn.com